Tratamento para Erros Refrativos em Curitiba

Tratamento para Erros Refrativos em Curitiba

O que são erros refrativos

Chama-se refração o desvio sofrido pela luz ao passar de um meio transparente para outro. Ou seja, do ar, que tem uma densidade, para o olho, que possui outra densidade.

Quando os feixes de luz sofrem desvios que são provocados pelo formato do olho, não há foco adequado na retina, resultando em erros de refração, caracterizados pela redução ou falta de nitidez da visão.

Os erros refrativos mais comuns são: miopia, astigmatismo e hipermetropia.

Miopia. O que é?

É comum ouvirmos dizer que os míopes enxergam bem de perto, porém sentem dificuldade para identificar imagens distantes. Isso ocorre porque o globo ocular possui um comprimento axial maior que o normal, ou a córnea é demasiado curva. Tal fisiologia do olho faz com que os raios de luz focalizem antes da retina.

A miopia, palavra de origem grega, que significa “olhos fechados”, é um erro refrativo, que afeta cerca de 25% da população e está comumente associada à genética. Se os pais são míopes, grandes são as probabilidades de seus filhos também apresentarem esta característica. Trata-se portanto de uma característica anatômica.

Os sintomas mais comuns da miopia são: dificuldade para enxergar longe, necessidade de fechar levemente os olhos para identificar algo distante (placas de sinalização, quadro-negro).

Outros sintomas que podem auxiliar no diagnóstico são: piscar os olhos com frequência, dores de cabeça (cefaleias), cansaço ocular, e tensão muscular.

Seu diagnostico é facilmente obtido através da realização de exames oculares realizados por um médico oftalmologista.

Podemos classificar a miopia em:

  • Miopia axial: A origem da miopia axial é o aumento do comprimento axial do olho, ou seja, o diâmetro ântero-posterior apresenta comprimento maior que o normal.
  • Miopia de curvatura: quando a córnea é mais curva que o normal e leva à formação das imagens, antes de chegar à retina.
  • Miopia secundária: surge geralmente após os 60 anos, em indivíduos com cataratas nucleares; pode ocorrer também após trauma ou cirurgia para glaucoma, pelo seu deslocamento anterior do cristalino.
  • Miopia congênita: ocorre ao nascimento.

Tratamento para a Miopia

A miopia pode ser corrigida com o uso de óculos, lentes corretivas ou cirurgia refrativa.

Através da cirurgia refrativa é possível corrigir a miopia remodelando a curvatura corneana. O método ideal para cada paciente será estabelecido de acordo com as características pessoais: grau de miopia, desejo de usar ou não óculos ou lentes de contato, etc.

Cada caso deve ser analisado e estudado criteriosamente pelo oftalmologista, que determinará o que é melhor para cada paciente.

Astigmatismo. O que é?

Nosso olhos são um canal de informação extraordinariamente complexo. Porém, as vezes pode apresentar irregularidades anatômicas.

Uma delas é quando a córnea não apresenta formato redondo e liso, apresentando formato ovalado. Tal característica pode alterar a direção dos raios luminosos.

O astigmatismo geralmente apresenta caráter hereditário, podendo ocorrer isoladamente ou associado a hipermetropia e a miopia.

Para o astígmata, as imagens parecem distorcidas tanto para os objetos que estão perto como para os que estão longe.

Na maioria dos casos o astigmatismo apresenta-se assintomático, porém, alguns pacientes relatam:

  • Dificuldade em enxergar nitidamente objetos de perto e de longe;
  • Dores de cabeça frequentes;
  • Fotofobia;
  • Vista cansada e visão turva em todas as distâncias.

Se você apresenta algum grau dos sintomas acima agende uma consulta com um médico oftalmologista. Ele é o profissional gabaritado para diagnosticar erros refrativos como miopia, astigmatismo, hipermetropia e recomendar o melhor tratamento.

Após a consulta você receberá a melhor opção de tratamento, de acordo com seu estilo de vida e características pessoais.

Tratamento para o Astigmatismo

O tratamento do astigmatismo inclui o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia refrativa.

Agende uma consulta com o Dr. Glauco Reggiani Mello e receba mais orientações sobre o Astigmatismo: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento personalizado.

Hipermetropia. O que é?

Em torno de 80% das sensações, emoções e informações que recebemos, nos chegam através dos olhos.

Basta pensar que neste momento, enquanto visita nosso site, uma grande quantidade de sensações e informações estão sendo absorvidas graças à sua capacidade visual.

Porém, algumas vezes o olho tem pouco poder de focalização. A isso dá-se o nome de hipermetropia, problema causado pelo comprimento axial (ântero-posterior) do globo ocular menor que o normal, ou ainda pela curvatura insuficiente da córnea, resultando em baixa acuidade visual.

Geralmente a hipermetropia tem origem em uma malformação congênita do olho, ou seja, quando o globo ocular é formado com o diâmetro mais curto que o normal.

Na hipermetropia os raios luminosos atingem a retina antes que a imagem se forme e o cérebro recebe da retina a informação de uma imagem fora de foco.

Esse erro de refração causa dificuldade para enxergar objetos próximos e também para leitura de textos. É o oposto da miopia.

Um dos principais sintomas da hipermetropia é a visão embaçada para perto, porém, pode haver queixa de dores de cabeça (cefaleia), ardor, lacrimejamento e cansaço ocular. Todos esses sintomas podem acarretar em dificuldades de leitura, concentração ou execução de tarefas que necessitem a visão de perto.

Tratamento para a Hipermetropia

Podemos corrigir a hipermetropia com o uso de óculos, lentes de contato ou através de cirurgia refrativa, conforme indicação clínica.

Um dos principais procedimentos para a correção do problema em adultos é a cirurgia refrativa, realizada com Excimer Laser ou Lasik.

WhatsApp